Maércio Mendes

Professor do Rhema Brasil

Um departamento de Louvor de uma igreja é como um tipo de João Batista, é ela que começa o Culto, preparando o caminho para a Palavra ser ministrada.

Tendo em vista isso, vamos estar fazendo uma série de mensagens onde iremos compartilhar um pouco de nossas experiências em departamento de louvor, mostrando um pouco da importância desse departamento na igreja local e trazendo um equilíbrio para o seu bom funcionamento.

Bem, trabalhamos nessa área a aproximadamente 10 anos e temos visto de fato que Deus habita em meio aos louvores de seu povo, manifestando cura, libertação e salvação. Me lembro uma certa vez, onde estávamos ensaiando para um culto de domingo a noite e a presença do Senhor era tão forte naquele lugar, que todos nós soltamos nossos instrumentos.

Uns corriam, outros choravam, outros pulavam, mas como se todos tivessem tido um comando espiritual, todos ficamos em silêncio, e escutamos algumas vozes que cantavam: SAAANTO… SAAANTO… e  o interessante que essas vozes não eram naturais, não paravam de cantar para respirar entre uma palavra e outra, a presença de Deus era tão maravilhosa, que escutamos as vozes de Anjos cantando ao Senhor junto conosco.

Deus tem nos chamado para sairmos da média, de simplesmente um grupo de música que canta algumas canções de sucesso gospel antes da palavra, para um grupo de pessoas fervorosas no Espírito que desejam e buscam as manifestações do Espírito em meio aos louvores.

Os bastidores é o que vai fazer a diferença, aquilo que somos no dia do Culto é o reflexo dos nossos ensaios. Deus quer se manifestar em meio aos nossos ensaios.

Há algum tempo estávamos ensaiando, e o ensaio estava daquele jeito… fogo puro… e vi um jovem entrando na igreja, ficou por ali… olhando o movimento e ele começou a chorar, se ajoelhou foi ao nosso encontro e disse: Estou desviado, e o diabo tinha falado comigo que eu iria morrer, dai decidi ir para o Parque do Povo (um espaço para shows em Campina Grande), beber, me prostituir e aproveitar meus últimos momentos, mas quando eu passei em frente a igreja, eu senti como alguém me puxando para entrar, eu entrei aqui e Deus falou comigo através da Adoração de vocês e quero renovar minha aliança com o Senhor. E hoje esse rapaz é um grande homem de Deus, firmado na palavra e ministro do Evangelho. Isso porque a Adoração em um ensaio manifestou a presença de Deus, alcançando vidas.

Temos visto que alguns grupos tem prezado muito a parte natural, esquecendo do equilíbrio entre a técnica e o espiritual, sabemos que Deus ira operar de acordo com o que sabemos e conhecemos tecnicamente, mas a técnica sem a unção é como o sino que retine, pode influenciar sua alma ao ponto de você chorar, como algumas melodias até do mundo pode fazer isso, mas a transformação de vidas pelo louvor,  tem que ter esse equilíbrio: Técnica e Unção.

Um exemplo do técnica com unção é Abraham Laborielconhecido como um dos melhores baixistas da atualidade, a forma como ele ministra ao Senhor com seu instrumento é bem característico. Certa vez o percussionista Alex Acuña do Ron Kenoly foi visita-lo, e entrando em sua casa percebeu pela música que ele estava em seu quarto, e para a surpresa dele, Abraham Laboriel estava adorando ao Senhor com seu instrumento, pulando, dançando, rodopiando, assim como ele faz em apresentações de sua banda… o percussionista meio confuso perguntou: Você faz isso em casa também? Ele simplesmente respondeu: O Púlpito é o reflexo do que sou nos bastidores.

Existe alguns caminhos que irão começar a trazer esse equilíbrio para a sua equipe, que será abordado de uma forma bem direta no próximo capitulo dessa série.

Fonte: http://verbodavida.org.br/louvor

Deixe um comentário